A Justiça de Bento Gonçalves, acolheu pedido da defesa e autorizou o apenado Cláudio Adriano Ribeiro, conhecido como Papagaio, a cumprir pena em regime domiciliar a partir desta terça-feira (31). A alegação que o homem estaria no grupo de risco de contrair o coronavírus na prisão.

Caso Lucilene: Vanderlei, principal suspeito de sumiço de evangélica é preso em sua residência

Papagaio está preso no Paraná desde de 2018, quando foi capturado. Ele vai para o regime domiciliar, com tornozeleira eletrônica. A decisão é de Bento Gonçalves porque ele responde processo por essa comarca. Em fevereiro de 2018, Papagaio foi apontado como participante e mentor de um assalto a um carro-forte no quilômetro 198 da BR 470, na Serra das Antas. Ele tinha sido preso quatro meses após ação criminosa na Serra Gaúcha.

Cláudio ]Adriano foi considerado na década de 90, o maior assaltante de banco do Rio Grande do Sul. Inclusive Papagaio recebeu condenações somando mais de 52 anos. além disso fugiu seis vezes do sistema carcerário. O detento também ganhou notoriedade por ter sido o primeiro a escapar da Penitenciária de Alta Segurança de Charqueadas (Pasc), em 1999.

Patrícia Lélis, jornalista que acusou Marco Feliciano é presa no EUA por falsa comunicação de crime

No entanto, o juiz Vancarlo André Anacleto considerou que Papagaio pertence ao grupo de risco da pandemia de Covid-19. O Ministério Público avalizou o embasamento da defesa, que apontou uma série de problemas respiratórios enfrentados pelo preso.

Visto da gravidade dos crimes e as fugas, inclusive de uma das penitenciárias mais seguras do país, a prisão mais recente de Papagaio ocorreu em Agudos do Sul, no interior do Paraná. Cláudio Adriano e mais três pessoas foram detidas em uma chácara no bairro Leão. No local da prisão dos a Polícia encontrou quatro fuzis, e numa mochila haviam explosivos para os ataques a banco.