Conecte-se conosco




Política

Deputado Abílio Santana pede à PGR prisão preventiva de Lula

Abílio Santana argumenta que Lula, ao sair da prisão, proferiu discursos de ódio. O ex-presidente praticou crimes contra a ordem pública

Publicado

em

O deputado federal Abílio Santana (PL-BA) tomou uma atitude acertada contra Luiz Inácio Lula da Silva. O parlamentar entrou com uma representação junto à Procuradoria Geral da República pedindo a prisão preventiva do ex-presidente da República, .

+ DEUS usa criança em Profecias para alertar sobre mortes cantores gospel

Abílio Santana argumenta que Lula, ao sair da prisão, proferiu discursos de ódio. O ex-presidente praticou crimes contra a ordem pública, ao incitar a militância para atacar o Governo Federal, promovendo desagregação e desordem.

“Os seus discursos violentos são claras incitações de uma guerra civil, ele quer instalar um caos no país. Nítida demonstração de desespero de quem não aceita ver o Brasil crescer, ” afirmou.

O deputado acusa o ex-presidente de estar praticando diversos atos atentatórios à ordem e paz pública.

Segundo Abílio, Lula está violando à Lei n.º 1.802/53, que define os crimes contra o Estado e a Ordem Política e Social.

“São condutas reiteradas e deliberadas para a prática de crimes graves, por isso peço a prisão preventiva, para rigorosa apuração. Não podemos permitir que o terror seja instaurado, através das atrocidades ditas por um homem que faz do povo massa de manobra, ” disse Abílio.

A peça de representação, encaminhada para o Procurador-Geral da República, Augusto Aras, cita trechos do discurso proferido por Lula. A palavras foram ditas no dia seguinte à sua soltura, em frente à sede do Sindicato dos Metalúrgicos, em São Bernardo do Campo – SP.

Lula afirmou que o Brasil precisava seguir o exemplo do Chile. “A gente tem que seguir o exemplo do povo do Chile, do povo da Bolívia, a gente tem que resistir”. Na fala, o ex-presidente defendeu, ainda, o ataque ao governo, completando: “na verdade, atacar e não apenas se defender”.

Para Abílio Santana, citações como essas, são típicas de quem quer instalar uma guerra civil no Brasil.

“ Ele pede para seguir o exemplo do Chile, onde a extrema esquerda provoca destruição e mais de 20 mortes seguindo estratégia do Foro de São Paulo, que discutiu, em uma de suas reuniões e pauta, ataques a Igrejas e depredação de objetos religiosos. É um claro incentivo a uma guerra civil no país, colocando, ainda, a culpa de todo o caos que poderá se instalar, no Supremo Tribunal Federal", concluiu.



O conteúdo do site é protegido. Você pode reproduzi-lo, desde que insira créditos COM O LINK para o conteúdo original e não faça uso comercial de nossa produção.



Publicidade