Conecte-se conosco




Justiça

Tribunal Justiça nega mais uma vez liminar para cúpula de pastores da CEADEB

Publicado

em

juiza nega liminar a ceadeb
Tribunal Justiça nega mais uma vez liminar para cúpula de pastores da CEADEB
Liminar negada pela justiça a CEADEB

O Tribunal de Justiça nega mais vez liminar que pedia a retirada de matérias do Google denunciando a CEADEB. A convenção que tem por Presidente o pastor Valdomiro Pereira, tev o desfavor pela a 3ª. vez.

Segundo a decisão do Tribunal de Justiça outorgada pela desembargadora Cynthia Maria Pina Resende, a reportagem que denuncia a cúpula da CEADEB deve continuar no ar. As matérias denunciavam o presidente da convenção, Valdomiro Pereira e os pastores aliados ao líder. Segundo informações o caso foi levado ao Ministério Público  e Polícia Federal como organização criminosa.

A desembargadora decidiu na tarde de quarta 21/. A 4ª turma cível do Tribunal de Justiça do Estado da Bahia, foi quem negou a liminar.

Esta é a terceira vez  que a justiça nega liminar para os pastores das Assembleias de Deus. Sendo que na primeira foi a juíza  Maria Helena Peixo da 8ª Vara Cível e Comercial de Salvador, ao pastor presidente Valdomiro Pereira da Silva. Também para a Convenção Estadual das Assembléia de Deus na Bahia.

Lembrando que a convenção é responsável pela ação 8003129-95.2019.8.05.0000 contra o Jornalista Elizeu Rosa. A CEADEB acabou recorrendo ao Tribunal de Justiça  e o relator da quarta câmara cível, o desembargador Roberto Maynard Frank manteve no ar reportagem.

A publicação detalhou o suposto caso de corrupção da cúpula da CEADEB denunciados no GAECO. (Grupo Especial de Combate as Organizações Criminosas do Ministério Público Estadual).

Veja Aqui a Decisão

Entenda o Caso

O pastor presidente Valdomiro Pereira e a diretoria da CEADEB (Convenção Estadual das Assembleia de Deus na Bahia) foram denunciados no dia em dezembro do ano passado. O caso foi levado ao Ministério Público Estadual e Federal.

De acordo com a matéria publicada na mesma época, os crimes seriam: corrupção, estelionato e fraudes contra a ordem tributária e econômica. Além de crime contra a fé pública, lavagem de dinheiro e outros.

O que levou o jornalista a fazer a denuncia, seria que ano passado viralizou um áudio. De acordo com as informações a gravação seria do pastores Arilson Pereira dos Santos, atual administrador da sede da CEADEB. Ele também exerce o cargo de pastor da igreja do Centro de Cultura Cristã.

Na transcrição Arilson assume que desviou dinheiro e destinou de forma não declarada a pedido do Pastor Alex Santana. Este na época, era candidato a deputado federal, hoje eleito.

Arilson santana para justificar os gastos uma espécie de “mágica”. Segundo a denuncia, ele saiu duplicando ou mesmo triplicando notas fiscais frias e falsas para maquiar a saída do dinheiro. Este seria uma espécie de “caixa dois”.

Justiça

Cantor gospel filho de Edir Macedo humilha massagista e justiça não perdoa

Publicado

em

Filho de Edir MAcedo condenado pela jusitiça a indenizar massagista

O cantor gospel Moysés Macedo, filho de Edir Macedo, humilhou uma massagista que prestava serviços nos estúdios da Record TV. A mulher que acabou perdendo o emprego, após publicação dele no twiter, vai ser indenizada em R$ 40 mil Reais.

Marcelo Crivella sobrinho de Edir Macedo manda recolher quadrinhos com beijo gay

Uma matéria do site TV Foco, publicada nomês passado, mostra que o cantor gospel, filho de Edir Macedo teria humilhado a massagista na rede social após um serviço realizado por ela.

"Massagem com uma p*** baiana e agora to com nojo", "gorda falei p ela sair de mim e disse 'boa sorte na sua carreira'", "não recomendo que ninguém faça massagem na record e se for fazer cuidado com (nome)" e "ela tem aids", divulgou Moysés Macedo no twiter.

Após a a massagista recorrer a justiça para ser reparada por danos morais, o juiz Marcelo Augusto de Oliveira, da 41ª Vara Cível do Foro Central Cível de São Paulo, decidiu que o cantor gospel terá de a pagar R$ 40 mil Reais a mulher.

Na sentença, de acordo com o portal Jota, a mulher disse que se sentiu humilhada enquanto atendeu Moysés. E que após saber do conteúdo das mensagens, se abalou emocionalmente e foi demitida da empresa que fornecia os serviços à Record

Na decisaõ o juiz Marcelo Augusto Argumentou que "O autor, aproveitando-se da sua posição de superioridade hierárquica, difundida na condição de filho do proprietário da emissora de televisão, julgou-se no direito de fazer pouco da honradez da autora, diminuindo-a e menosprezando-a, em privado e em público, de forma ignóbil e abjeta, com a única finalidade de humilhá-la. É o bilinguis maledictus de que fala a Bíblia", pontuou o magistrado.

A justiça foi favorável a mulher, mesmo que a defesa do filho de Edir Macedo tenha alegado que ele não se lembra de ter feito uso da massagem no canal. Também questionou a veracidade da informação do TV Foco, já que o perfil não pertenceria a ele. A defesa ainda acrescentou que o fato de Moysés ser conhecido no meio gospel pode, ter sido motivo para a criação de contas falsas.

Continue Lendo

POPULAR