Conecte-se conosco




Geral

Repórter sofre ameaça de morte em transmissão ao vivo

Publicado

em

Reporter da record ameaçado de morte ao vivo
Repórter sofre ameaça de morte em transmissão ao vivo
Repórter da record ameaçado de morte

Em uma transmissão ao vivo,  um repórter da equipe da Rede Record do Espírito Santo, sofreu ameaça de morte por supostos criminosos, durante o programa Cidade Alerta na noite desta última quinta feira, dia 30 de Maio.

O repórter fazia uma transmissão ao vivo em um bairro da capital do Estado do Espírito Santo, Vitória, onde havia acontecido uma ocorrência, um confronto entre bandidos e policiais, há algumas horas antes. Os policiais apreenderam drogas e munições na ação.

No momento em que o repórter começou a fazer a cobertura do ocorrido, para o apresentador do telejornal que estava no estúdio, um carro que estava em alta velocidade, reduziu e parou ao lado do repórter.

Urgente: Advogada de 26 anos desaparece no Rio de Janeiro

Os bandidos que ameaçaram o repórter e a equipe na transmissão ao vivo, falaram que iriam matar todo mundo. Ordenaram    que as câmeras fossem desligadas. O repórter muito nervoso e assustado, fez o que os supostos meliantes pediam e a transmissão foi encerrada.

Nesta sexta-feira, em sinal de protesto, os repórteres da filiada da Rede Record TV do Espírito Santo fizeram as transmissões todos vestidos de branco.

No começo do mês, no dia 6 de Maio, a mesma equipe havia passado por algo muito semelhante, quando um carro da equipe de reportagem foi incendiado, durante a transmissão da cobertura de uma operação da polícia também na cidade de Vitória. O incidente, foi transmitido ao vivo, no programa Balanço Geral.

Por meio de nota, a emissora esclareceu que repórter e cinegrafista estão bem e que as devidas providências já foram tomadas.

O Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Espírito Santo se pronunciou sobre o caso, e afirmam que é inaceitável o ataque que as equipes de jornalismos vem sofrendo na cidade de Vitória, por grupos armados que ocupam as comunidades da cidade.

" Nossas entidades exigem do governo do Estado segurança de trabalho para os jornalistas e também para os moradores dessas regiões. É inaceitável que este tipo de ocorrência tenha se tornado uma prática, visto que recentemente um veículo da mesma emissora foi incendiado na mesma região", esclareceu por meio de um comunicado o sindicato.

A Secretária de Estado da Segurança Pública esclareceu que o setor de inteligência, responsável pela investigação que apura quem são os suspeitos das ameaças proferidas contra a equipe de reportagem, já iniciaram os trabalhos.

Afirmou também que os suspeitos aproveitaram que o policiamento estava concentrado na parte alta da cidade, para cometerem crimes nas vias de acesso. 



O conteúdo do site é protegido. Você pode reproduzi-lo, desde que insira créditos COM O LINK para o conteúdo original e não faça uso comercial de nossa produção.