Conecte-se conosco




Geral

Deputado propõem: Eventos que ofendam religião não receber recurso público

Publicado

em

deputado
Eventos que ofendam religião poderão não receber recurso público

Foi apresentada na Câmara dos Deputados na última semana uma proposta do deputado federal Abílio Santana (PR) o projeto de lei n° 2552/2019 que proíbe o uso de recursos públicos para eventos artístico-culturais que possam ofender religiões.

De acordo com o parlamentar, como estado é laico, todo e qualquer cidadão deve ter o direito de manifestar suas ideologias religiosas, e por isso deve o estado garantir segurança aos cultos religiosos, onde ninguém deve ofender ou prejudicar qualquer denominação religiosa pelo simples fato da diversão e etc.

O parlamentar baseou-se no art.5 da Constituição, ressaltando que “é inviolável a liberdade de consciência e de crença, sendo assegurado o livre exercício dos cultos religiosos e garantida, na forma da lei, a proteção aos locais de culto e suas liturgias”.

Com a presença de Bolsonaro, pastor Abílio Santana prega no Gideões 2019

Além disso, de acordo com o deputado Abílio, que é vice-líder da bancada evangélica na Câmara, o projeto teve início depois que a Escola de Samba Gaviões da Fiel causou polêmica no Carnaval 2019 ao mostrar o Diabo vencendo jesus Cristo no sambódromo de São Paulo.

Assim, esse enredo mal elaborado, e de mal gosto, acabou gerando resolva de religiosos e grupos evangélicos que se sentiram constrangidos com a expressão artística, da qual teria promovido um incentivo a conceitos errados, colocando o grande salvador da humanidade em situação de rebaixamento, algo que sabemos que é totalmente diferente.

Assim, se a lei for aprovada, recursos público que são destinados aos eventos populares deverão obedecer a lei do respeito às ideologias religiosas, onde nenhuma mensagem de preconceito deve se exposta ao público em geral.



O conteúdo do site é protegido. Você pode reproduzi-lo, desde que insira créditos COM O LINK para o conteúdo original e não faça uso comercial de nossa produção.